Vídeo Clipe
Clipe Me Leva
junho 2, 2016

Música Sossego

Vídeo Clipe

8 de out de 2015 – Agora você pode ouvir a música “Sossego” feita especialmente para ele.

Sobre encontrar o Amor Verdadeiro…

Será possível, então, um triunfo no amor? Sim.
Mas ele não se encontra no final do caminho: não na partida, não na chegada, mas na travessia. Rubem Alves

Só é possível saber se encontramos o amor verdadeiro durante a travessia da vida.
Não quero aqui de jeito nenhum dar alguma receita pronta de como encontrar a pessoa perfeita, até mesmo porque ela não existe.
Vou apenas contar minha história e o que aprendi com ela. Não que ela seja um exemplo, afinal acabei de entrar neste barco. É que talvez você se identifique com alguma situação e isso te ajude na caminhada de alguma forma.

Tenho uma amiga que diz que tenho uma praticidade masculina. Fui entendendo aos poucos o que isso significa e hoje enxergo o que ela quis dizer. Percebi isso em várias situações na minha vida e as vezes isso me atrapalha.  Por vezes também me protege.
Namorei apenas dois moços antes de me casar e nenhum destes durou mais de 3 meses.  Talvez a minha objetividade  me fazia enxergar mais rápido que não tínhamos muita coisa em comum, e o que tínhamos (apenas a mesma religião) não era suficiente.
Comecei a namorar  o Márcio, hoje meu esposo, com 29 anos. Aos seis meses já tinha certeza que ele era a pessoa certa para mim. Ele, machucado pela vida, não tinha tanta certeza. Entre namoro e noivado foram 1 ano e meio. Casei aos 31 (considerado tarde em qualquer comunidade religiosa tradicional).

Essa coisa de tempo é estranha. Quanto tempo você leva pra saber se alguém pode ser seu amigo ou não? Isso tem tempo determinado? O que vem primeiro na escala de importância quando se conhece alguém?  Colocamos mil padrões: físicos, econômicos, religiosos, e no final idealizamos alguém que não existe. Esquecemos que não são os padrões que farão dar certo e sim a personalidade de cada um.

Concordo que é muito difícil conhecer o que se passa na alma alheia, talvez então seja mais fácil começar pela nossa, que está mais perto!

Conhecer a si mesmo de fato pode nos ajudar a saber o que não combina conosco. Geralmente descobrimos isso de duas formas: esperando que o tempo nos ensine ou nos machucando. (há também os que não aprendem)
No meu caso descobri tarde que era preciso me conhecer mais, porém me poupei de sofrer por amor. Houve um outro sofrimento, o da espera. Este requer lucidez na solidão. Estar bem, sem alguém.
Estar bem, não significa ficar pulando de alegria por estar sozinho. Tenho medo das pessoas que dizem serem “bem resolvidas”. Na maioria das vezes isso não é verdade.

Estar bem é não pirar quando o melhor programa que você tem é ver filme com amigos casados. Estar bem é não se incomodar com o silêncio da vida. É dizer não para aquele maluco lá da sua igreja que disse – Deus me falou em sonho pra casar com você!(tá cheio desses). Estar bem apesar do meio que vivemos é para os fortes!

Enfim! Mas voltando pra minha história. Quando cheguei em Jacareí fui convidada a cantar no Grupo Nova √oz de São Paulo (grupo bem conhecido na IASD). Lembro-me de no dia do teste olhar pra todos e pensar: é, desse mato não sai coelho! Não tinha ninguém que me chamasse a atenção. Dentre eles estava meu futuro marido, só que ele não estava nos padrões que eu tinha inventado na minha cabeça. Ainda bem que padrões existem para serem quebrados!

Começamos a viajar com o grupo e conversar cada dia mais, sempre sobre música. Uma conversa muito harmoniosa. Ele odiando as músicas que eu mostrava e eu odiando as que ele me apresentava! Mas os sorrisos eram mantidos!
Até que um dia paramos de falar de música e começamos a falar sobre a vida e aí sim, encontramos muitas semelhanças, tantas que até assustam.

Foi então que achei nele um amigo. Alguém que conhece meu passado aceita meu presente e me leva pro futuro. Alguém que é sensível a minha arte que não se incomoda com meu silêncio, aquele silêncio que cultivei antes de conhecê-lo. Que aprendeu a gostar de gatos só pra ver meu sorriso.

Acho que este post está virando uma declaração de amor, estou aqui em casa eu e meus gatinhos já são 22:12 e hoje ele não vem, pois trabalha em SP, as vezes eu durmo só. Saudade.
Só queria deixar minha história de amor com vc. Sou feliz por ter esperado mais do que o normal, tivemos caminhos diferentes mas valeu cada minuto. Aqui vai um recadinho para minhas amigas que estão a procura, e para os meninos também.
Aprenda e ser feliz com seu mundo, pra quando surgir alguém com um outro mundo ele caiba no seu, bem encaixadinho, pois no seu mundo estava tudo em ordem, arrumadinho, com o espaço vago mas não mal assombrado. Quieto mais não escuro, solitário porém, sossegado! Capaz de ser um porto onde alguém possa ancorar.